K42 Bombinhas 2013, pensando em 2014.

Comprovei que é a mais bela e desafiadora maratona no Brasil. Temperatura amena, muitas subidas, descidas, lama, mata atlântica, praias, o visual da natureza exuberante e muita gente bonita, confirmam a fama.

Já li vários textos sobre a K42, por isso não vou fazer mais um, prefiro deixar orientações para os que farão ano que vem.

Aprendi que a K42 se corre com estratégia e cabeça no lugar. Numa prova curta podemos até ir a toda velocidade, mas não aqui. A variação de inclinação e percurso é muito grande e constante, e sendo a prova desafiadora como é, temos que fazer o possível para o corpo não sentir os extremos e correr da forma mais equilibrada / regular possível.

Como?

Batimentos controlados e percepção de esforço sempre igual seja qual for o terreno, ou seja, devagar nas subidas, moderado no plano e rápido nas descidas, caso não comprometa a segurança, no caso da K42, devagar nas descidas também. O batimento cardíaco é um bom parâmetro ao invés de se preocupar com ritmo por km.

Careta assustadora como o degrau.

Nas trilhas o mais fácil é subir, se estiver cansado vai ter que subir devagar e pronto, mas as descidas castigam muito mais, por isso procure flexionar um pouco os joelhos nas descidas mais ingrimes, isso dá mais estabilidade, mas não significa 100% dela. Não dê grandes saltos ou passadas largas nas descidas, isso vai te cansar mais, além de ser perigoso. Recomendo os tênis de trilha, mas ainda é comum ver pessoas com os tênis convencionais. Todos completamos, mas talvez eu tenha escorregado um pouco menos.

Apesar dos vários postos de hidratação acabei sentindo sede em alguns trechos e ter levado uma mochila de hidratação ou um cinto, como sugeriram os organizadores, teria ajudado. Apesar da forte recomendação de jogar o lixo no lixo e ter cestos logo após os postos, vi muito rastro de corredor porco nas trilhas, e já acho mais conveniente as corridas em trilha não entregarem copos d’água pelo bem do local que estamos usando para correr. Pagar inscrição não dá direito a descartar lixo em qualquer lugar.

Não havia mata fechada ou single tracks com risco de arranhar as pernas, por isso usar calça só resolveria se estivesse frio mesmo. Fui de short e camiseta regata.

Para proteger os pés usei esparadrapo nas áreas de maior atrito, vaselina nas pontas dos dedos e polvilho granado para manter os pés secos por um pouco mais de tempo. 2 pares de meia, a 1ª de poliamida, a outra mais grossa. Meus pés ficam mais confortáveis, porém ao entrar na água ficam mais pesados. Tomar banho antes da largada vai deixar seus pés mais sensíveis e com alto risco de causar bolhas. Banho no máximo na noite anterior.

A prova começou com garoa e mesmo assim passei protetor solar, em provas longas o clima pode mudar durante a prova e em Bombinhas foi exatamente o que aconteceu. Um boné sempre ajuda caso um galho apareça enquanto você olha pro chão. Apesar de eu não ter usado e não ter passado por lugares com vegetação tão fechada.

Os primeiros colocados levam cerca de 40% mais tempo para concluir a K42 se comparado a uma prova no asfalto, para os amadores percentualmente o valor é menor, mas pode contar algumas horas a mais da sua melhor corrida no asfalto.

No vídeo fica mais fácil de ver como é a prova, a paisagem e a fama que a K42 tem. Levei 5h13 e podia ter sido muito mais porque o visual é hipnotizante e dá vontade de parar e respirar fundo antes de continuar. Feliz por ter conhecido mais um canto do meu lindo país. Espero você lá ano que vem!

Se você fez a prova e quer deixar sua contribuição para os que farão ano que vem, será muito bem vinda.

Enzo Amato.

12 ideias sobre “K42 Bombinhas 2013, pensando em 2014.

  1. Pingback: Indomit Bombinhas Vila do Farol. | Blog do Amato

  2. Enzo, parabéns pelo relato. Meu sonho é participar desta maratona e ano que vem nada me impedirá de realizar este sonho. Fiquei ainda mais empolgado depois de ver seu video. Eu já tinha visto vários, mas o seu ficou fantástico!!! Parabéns. Abraço.

  3. Parabéns, Enzo!! Pela sua prova, pelo seu relato e por compartilhar suas experiências! Também estive em Bombinhas para os 42k, a prova é realmente alucinante! Uma experiência incrível!
    Neste ano, voltando de uma cirurgia cardíaca, coloquei esta prova como uma das etapas para vencer o meu grande objetivo deste ano!
    Grande abraço, amigo!

    • Obrigado Tamy, mas quem merece parabéns é você!
      A corrida deve ter sido o mais fácil se comparado ao que você já passou, mas também estou certo de que você deu um significado a ela, por isso parabéns por essa etapa concluída!
      Abraço e escreva mais vezes.

  4. Olá Enzo! Parabéns pela prova e pelo relato.
    Gostaria que vc falasse um pouco sobre a sua experiência com os bastões. Tenho usado em meus treinos mas o aprendizado é bem difícil, tipo tentativa e erro. Pro Cruce minha idéia é levar apenas um (quanto menos tralhas melhor) e utilizá-lo basicamente nas subidas. Pela foto vc fez o mesmo. O que vc acha? Abraço.

    • Rodrigo, obrigado por sempre participar com ótimas ideias.
      Vou escrever um texto só sobre os bastões, mas por enquanto, basicamente se o bastão estiver na mão direita você vai apoiar no chão quando o pé esquerdo tocar o chão. Isso te dará equilíbrio e uniformidade nas passadas. Lembre de variar para não esgotar só um lado do corpo.
      Nos treinos é bem difícil encontrar a real utilidade dele, mas quando o corpo estiver cansado ele será útil nas subidas e descidas, tenha certeza.
      A descida da foto me pegou de surpresa, era um degrau muito grande, não era a toa que o fotógrafo estava lá, queria pegar as quedas, rs, mas o bastão é mais útil em descidas mais uniformes.
      Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>