Endurance Challenge Argentina 2013 – 50km

Bariloche – Cerro Catedral

Não podia dar outra, mesmo com a mudança de percurso decidida no dia anterior pelo mal tempo da semana, a prova foi dura e espetacular.

Percebi a variedade de trilhas no dia da prova. O traçado visto do mapa havia sido todo modificado, a prova chegaria aos 2100 metros, mas a chuva e neve dos dias anteriores fizeram os organizadores optarem por não subir tão alto pela segurança dos atletas. O dia da corrida, ao contrário da semana toda, estava com temperatura boa para correr e céu com poucas nuvens. Dividi um táxi com outros 2 corredores saindo do centro de Bariloche até o Cerro Catedral, local da largada, já estava pronto, só faltava deixar a roupa no guarda volume e colocar água na mochila, tudo isso dentro de um pequeno shopping na pequena vila e que no inverno é uma estação de esqui, as 7:50 faltando 10 minutos para a largada, queria fazer um aquecimento e gravar algumas imagens, nesse momento a câmera indicava “sem bateria” e desligava sozinha, a frustração acabou comigo naquela hora, tentei algumas alternativas e nada funcionou, resolvi voltar ao guarda volume e deixar a câmera, isso me custou parte do aquecimento e ter que largar atrás dos 500 corredores que se agrupavam no funil para a distância de 50km.

Logo de cara uma parede, começamos bem devagar e a sorte é que era por uma estrada larga de terra e pude ultrapassar facilmente os que não corriam no mesmo ritmo que eu. Ainda tomado pela frustração de não poder carregar a câmera para registrar imagens lindas que estavam por vir, comecei a me reprogramar para curtir a prova, e não me faltaram bons motivos.

Logo nos primeiros kms já me sentia renovado e resolvi fazer dessa corrida minha prova forte de 2013, minha despedida de solteiro, já que uma semana depois me casaria, e ao mesmo tempo, cravar essa corrida na memória, já que não tinha mais a responsa nem desculpa de carregar a câmera para fazer boas imagens parando ou reduzindo o ritmo, resolvi ir com tudo, eram respeitosos 50km com altimetria em constante variação, mas havia adquirido um bom volume durante o ano todo e podia me dar ao luxo de forçar.

Além das ultrapassagens do início, a partir do km 10 comecei a alcançar pessoas que estavam além do próprio ritmo, o efeito manada que acontece em qualquer prova. Os pontos de hidratação estavam distantes uns dos outros e por isso comecei com a mochila com quase 1litro de água e mais uma caramanhola com um pouco de isotônico, no km 17 havia um ponto de abastecimento enorme, acredito que dentro da recepção de um clube, com comidas e bebidas, desde arroz até café. Fiquei alguns minutos e a prova se desenrolava rapidamente, estava muito bem. Quando não estava no alto de uma montanha com a vista incrível, estava perto do Lago Gutierrez com água super cristalina e casas de veraneio enormes com jardim e sem muros ou grades.

Entre montanhas, muito sobe e desce e visuais maravilhosos reparei também que depois de 30km continuava a ultrapassar corredores, e isso era ótimo, sabia que havia começado forte, mas não a ponto de extrapolar, e ainda continuava bem.

Dentro do circuito Endurance Challenge, que acontece em vários países, inclusive no Brasil, essa etapa foi a que teve maior número de atletas, atingiu o limite de 2000 nas 4 distâncias, o que para uma prova de montanha é realmente muita gente, com isso também levamos muito lixo para as trilhas o que foi impossível não notar. O contraste da beleza da natureza com o lixo que encontrava no caminho era o ponto fraco do evento.

Segui firme, minhas batatas com sal e queijo ralado davam energia sem incomodar o estômago, com 43km nas pernas cheguei no mesmo ponto de apoio que passara quando estava no km 17, tomei café, isotônico e água, comi um pouco de doce de membrillo e toda essa mistureba me fez correr bem mais devagar a partir dai. Via outros corredores também no mesmo ritmo que eu e imaginava que não estava tao mal, a partir do km 47 comecei a passar por alguns córregos de água de degelo que descia a montanha, fiz deles um ponto de hidratacao, e chegava a não sentir os pés de tão gelada, e isso que eram apenas alguns passos dentro da água.

Completei os 50km em 6h23 e na 59ª colocação o que me deixou ainda mais contente. Para mostrar, só tenho algumas fotos que a organização mandou e a medalha, mas na memória tenho muito mais e no coração todo o orgulho.

Em 2014 a etapa argentina do Endurance Challenge acontece em San Martin de Los Andes, em abril, ainda não conheço a cidade, mas é na mesma região e já ouvi que é tao ou mais linda que Bariloche.

Enzo Amato

5 ideias sobre “Endurance Challenge Argentina 2013 – 50km

      • Sim, mandarei em breve! Nossa trocas são o que temos de mais importante! Obrigada pela oportunidade Enzo! Estou esperando sua opinião sobre as provas em etapas! vou precisar rs! abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>