Patagonian International Marathon 2015

60km, mais de 7h, mil metros de desnível positivo e 4mil calorias.

*Hacé click para leer en español.

Piso de cascalho, subidas longas, descidas curtas, desnível total de 1900m. Guanacos, pássaros, silêncio e natureza pura em 100% do percurso.

Sem montanhas para escalar nem rios para cruzar a PIM é indicada para quem gosta de correr sem paradas, as quebras de ritmo são causadas pelas subidas e nada mais. Para os menos competitivos é praticamente um passeio de contemplação às paisagens do Parque Nacional Torres del Paine, no sul do Chile. Desde que não escolha a distância errada, pois as subidas se intensificam com o decorrer da prova e te colocam em cheque no momento que se está mais cansado.

Início dos 60km, ainda bem agasalhado. Depois do 10º km tirei o corta vento e não coloquei mais. Dia quente para latitude 51°
Foto: Graciela Zanitti / iloverunn.com

O clima é a variável mais determinante nessa corrida, o vento pode fazer a sensação térmica despencar e te obrigar a ir com roupas totalmente diferentes de um dia sem vento. É importantíssimo ter as camadas certas de roupa.

1º km do meu lado direito o Glaciar Grey (não se vê na foto, mas sentia o frio bem próximo)
Foto: Solo Running

Os 8 pontos de hidratação nos 60km estavam bem abastecidos, algo que melhorou muito com relação ao ano passado. Isotônico, água e frutas em todos eles. No km 35 e 38 comida quente, biscoitos e até salame, que cai muito bem para quem não está correndo forte, que era meu caso a essa altura da prova. Não estava num bom dia e passei a caminhar muito depois dos 30km, algo que esperava que acontecesse só depois dos 50km.

A preocupação com o meio ambiente é notória, além de não entregar copos plásticos, algo que já é bem difundido em provas de trilha, produzindo menos lixo e evitando que os copos se espalhem pelo parque através do vento, também não havia música na chegada para não molestar a fauna. Até as cascas de banana eles pediam para jogar no lixo. Para quem gosta da natureza é um prazer correr e perceber o mínimo impacto que a prova causa. Clique e visite o site do evento.

30 países estavam representados nas 4 distâncias, mais de 650 corredores dentre esses mais de 100 eram brasileiros.

O que usei:

  • Tênis: Asics Gel Fuji Attack 4
  • Calça: Asics running
  • Camiseta: Térmica Nike e camiseta do evento
  • Manguito: OG
  • Corta vento: Montagne
  • Mochila de hidratação: Raid Light – Olmo 5l.
Clique para assistir ao vídeo com todas as dicas para se preparar para o próximo ano.

Em breve o vídeo de 2015. (acima o de 2013)

Fui ao evento a convite da organização.

Enzo Amato

Recuperação dos 42km

Recuperação dos 42km e pronto para os 60km.

Depois de uma prova de 42km a cabeça percebe o dever cumprido, então o corpo relaxa e inicia o processo de recuperação das fibras musculares e outras estruturas que sofreram o desgaste da prova como tendões, ossos e ligamentos.

Quanto mais experiente o corredor e quanto mais adaptado àquela distância ele estiver, mais rápido será sua recuperação. A intensidade da prova também tem papel relevante. Entenda recuperação como o estado físico ideal para repetir bons treinos da fase de preparação.

No início da recuperação você sente dor até para caminhar, depois passa a se sentir bem correndo leve por pouco tempo, e só depois passa a se sentir bem correndo forte e por mais tempo como na fase de preparação. Isso leva dias e não respeitar esse processo aumenta o risco de lesão.

Alguns cuidados simples podem acelerar bastante o processo de recuperação.

  • Começar a se hidratar assim que terminar a prova, e repetir em curtos espaços de tempo.
  • Fazer uma refeição até 2h depois de terminada a prova.
  • Não alongar. Isso aumenta as micro lesões causadas naturalmente pelo exercício e retarda o processo.
  • Caminhar até 30min não te cansa como um treino e faz o sangue circular mais rápido do que ficando parado. É uma faca de dois gumes, errar na dose pode causar o efeito contrário. Por isso coloquei caminhar e não correr leve.

No caso do meu desafio pessoal de 4 provas em 3 semanas. Tive que ficar esperto durante toda a semana para não pular refeições, já que estava no carro logo após os 42km e em aviões e aeroportos antes dos 60km, no melhor período para a ingesta de carboidratos, 48hs antes da prova. Fui na academia apenas um dia só para estimular a musculatura, com 4 exercícios básicos de força na musculação, poucas repetições e uma corrida leve para perceber como me sentia.

É possível que eu chegue para os 60km me sentindo muito bem, porém me canse logo por causa dos 42km da semana anterior, é uma possibilidade. No primeiro desafio procurei não chegar no L2 e a média de batimentos foi de 153 nas 4h40 de prova com mil metros de desnível positivo.

De qualquer forma, qualquer pessoa se recupera mais rápido de uma prova se seguir as recomendações acima.

Próximo texto é a estratégia para os 60km sem esquecer os 50km da semana seguinte…

Enzo Amato.

Yaboty Ultra Maraton 2015

2500km de carro com 42km de corrida.

Uma vigem longa de carro faz você perceber que o país é muito mais do que a loucura e correria da selva de pedra.

1h para largada. A barraca estava ao lado do Rio Uruguai e o sono pesado depois de 1300km de carro.

Participei dos 42km da Yaboty. Que acontece em El Soberbio, as margens do Rio Uruguai, fronteira com o noroeste do RS. Fica na província de Misiones que também abriga o parque Iguazu, 300km ao norte. Prova que encantaria qualquer corredor de asfalto querendo experimentar as trilhas, ou qualquer corredor de trilha que goste de correr.

Totalmente na natureza, mas sem o perrengue do isolamento. Caso algo de grave aconteça o resgate é relativamente fácil se comparado a outras provas em trilha. A chance de acontecer algo grave diminui quando a corrida é quase toda por estradas de terra e pouquíssimo single track (não sei como foi o percurso dos 70 e 100km). Sem precipícios, abismos, gretas, rios caudalosos… é só correr e desfrutar. O canto dos pássaros nos acompanha durante toda a prova, assim como a paisagem verde, as nuvens carregadas, a alta umidade relativa e as casinhas humildes da população que vive majoritariamente em sítios e não nas cidades.

A vibe das corridas na Argentina é nota 10. A Yaboty em especial, reúne gente de todo canto e de vários países. Mais um pedacinho desse mundão que tive o prazer de conhecer correndo.

Para os 42km usei cinto de hidratação, que abasteci nos 4 postos que encontrei no caminho, barrinhas de cereal, banana e isotônico que a prova oferecia.

O que usei.

  • Tênis Mizuno Wave Hayate
  • Short de corrida e camiseta do evento, este último obrigatório para facilitar identificação.

Fim do 1º dia de estrada em algum lugar no PR, e mais 600km pela frente até chegar em El Soberbio.

Cruzar a fronteira de carro exige alguns requisitos. Carta verde, que é um seguro contra terceiros, sua seguradora faz e quanto mais dias, mais caro. Ter no carro, 2 triângulos e corda. Para entrar na Argentina só com RG (CNH não serve). Em El Soberbio a travessia é por balsa, 90 pesos ou R$23. Só até 17 e pouco da tarde. Se acha que não vai chegar nesse horário, melhor ir pelo sudoeste do Paraná.

André e eu almoçando num restaurante de estrada já na Argentina. Costela e batata era o menu do dia, e que se vire com essa dieta quem vai correr na manhã seguinte.

Enzo Amato

Corrida Adidas Boost Endless Run SP 2015

Formato legal, motivador e desafiador. 10k+5+1.

A somatória dos tempos foi melhor do que se tivesse feito os 15km de uma vez. O ritmo e os batimentos também foram bem parecidos nos 5km, depois de já ter os 10km nas pernas. Continuo com a opinião de que não se deve “poupar” nos 10km. Primeiro porque o desafio é tentar manter o ritmo e saber como você vai reagir nos 5km, e não correr 15km com intervalo. Segundo porque para quem quer brigar para classificar entre os primeiros 200 homens ou 100 mulheres, é mais difícil ganhar tempo frente aos outros corredores em 5km do que em 10km. Portanto minha regra pessoal e dica é. Faça os 10km como numa prova de 10km e tente fazer igual nos 5km!

Aqueles que sofreram ou “quebraram” é porque tentaram seu limite. Os que terminaram inteiros não se esforçaram o tanto que podiam. Esse é outro termômetro desse formato de prova. Fiz força nos 10km, e nos 5km consegui suportar o mesmo ritmo.

Mesa do escritório decorada

Percebi várias melhorias com relação ao ano passado.

  • O telão com os tempos dos primeiros colocados diminuía o clima de tensão entre os atletas deixando o pessoal mais relaxado entre as largadas e liberando a maioria deles depois dos 10+5.
  • A pista de atletismo foi o lugar perfeito para aquecer antes das largadas.
  • A camiseta P era P mesmo.
  • Ao compartilhar sua foto com a # do evento você levava sua foto impressa como presente.

Outros pontos seguiram a boa ideia do ano passado, como massagem, banheira de gelo… porém ainda cabem algumas estratégias simples para facilitar as coisas. Como guarda volume mais largo e com mais pessoas para agilizar filas. Os pobres 300 que ficaram para o último km, me incluo, tiveram que esperar bem além do tempo programado e pegar seus seus chips de forma precária na base do grito, atleta por atleta, isso acabou me desestimulando e voltei pra casa sem o 1km. Enfim, coisas que podem ser ajustadas para a etapa do RJ dia 18/10. E para ano que vem porque o tipo de prova é muito legal e pretendo voltar. Visite o site do evento.

Como curiosidade os primeiros 200 homens se classificaram na somatória dos 10k+5k com 1h (média de 4′ p/km) e as 100 mulheres com 1h15 (média de 5′ p/km).

Você foi, o que achou?

- A assessoria de imprensa da Adidas me concedeu uma cortesia para participar do evento.

Enzo Amato

Que exercício gasta mais calorias?

Aquele que você faz com regularidade.

Sim, ficar no sofá é mais fácil e mais gostoso do que sair para treinar. Você escolhe.
Imagem: Shutterstock

Já respondi a pergunta. Se achou que viria aquele segredo que você não sabia, ou o milagre que toda a humanidade aguarda que une facilidade e resultado, se enganou.

Não se atenha ao que gasta mais caloria. Apegue-se a modalidade que você gosta, e que encaixa na sua agenda e bolso. Praticar com regularidade é a maior dificuldade das pessoas. Você só precisa se preocupar com isso.

Estabeleça os dias e horários como um compromisso e vá! Se passar pelo primeiro mês é bem provável que você tenha encontrado a modalidade que mais gasta caloria.

P.S. Mais intensidade exige mais energia, consequentemente você gasta mais calorias, mas intensidade só vem com a prática e a boa orientação de um profissional de Educação Física.

Enzo Amato

 

Tempo curto, treine o que interessa.

Sobrou pouco tempo hoje? Vá direto para os principais.

Imagem: Shutterstock

Algum dia você vai sair mais tarde do trabalho, mas mesmo com pouco tempo dá pra treinar!

  • Falando de musculação, são aqueles exercícios onde vai mais carga…
  • Falando de corrida, faça os batimentos subir, ou a esteira subir…
  • Falando de ciclismo, faça as pernas queimar…
  • Falando de natação, uma série de vários tiros de 25m…

São só sugestões para quem já treina, converse com seu treinador e combinem um treino coringa pra ficar na manga para esses dias de tempo mais curto que o normal. É muito bom pra cabeça, você sente que mexeu o corpo e evita matar o treino.

Enzo Amato

Palestra em BH. De 0 a 100 milhas

Agora é em BH.

Fui nessa palestra do Léo aqui em SP e foi fantástica, pensei que ia lá só para cumprimentá-lo e conversar um pouco, mas foi uma verdadeira aula. Até tabela sobre temperatura versus sensação térmica ele mostrou. Muito interessante também os pontos relevantes que ele aponta para que você escolha uma prova de acordo com suas preferências.

Recomendo para quem estiver em BH dia 9/9. Evento gratuito, basta confirmar presença através do email. ferrero@freeway.tur.br

Enzo Amato